Desenhar pros gringos

Em 1992, o futuro me parecia promissor. Estava cursando o último ano do colegial técnico em Publicidade e algumas ofertas ou possibilidades de trabalho surgiam. Estava vendendo roteiros para a Abril Jovem e havia sido pago por um trabalho freelancer, as ilustrações para a campanha eleitoral do pai de um amigo que havia se candidatado a vereador pelo PC do B. O dinheiro que recebi pelos roteiros e pelas ilustrações não eram lá grande coisa, mas foram o suficiente para abrir minha primeira caderneta de poupança (seguindo o sábio conselho de minha mãe). Tempos depois, fechei essa caderneta e o dinheiro foi usado para comprar roupas novas (compradas no Brás, evidentemente) e minha inscrição na FUVEST.

No mesmo ano, xeroquei alguns dos melhores desenhos que eu havia feito (na verdade, cópias de desenhos alheios, algumas só no lápis, outras com nanquim) e mandei pelo correio para uma editora dos Estados Unidos, a Malibu Comics, pouco antes dessa editora lançar os primeiros quadrinhos do selo Image e ainda antes dela ter sido comprada pela Marvel.  Duas semanas depois, chegou um envelope gordinho e com tamanho ofício mais ou menos. Para minha alegria, havia uma carta padrão em que os editores diziam que haviam gostado do meu trabalho o bastante para quererem ver mais, então tudo o que eu deveria fazer era submeter à avaliação deles um teste (try out). Junto do envelope havia trechos de dois roteiros datilografados e algumas imagens das personagens principais para usar como referência. Cada trecho de roteiro equivalia a uma sequência de quatro ou cinco páginas desenhadas. Um roteiro era para uma edição do título The All New Exiles e o outro era para uma edição do título The Ex-Mutants. Eu devia escolher apenas um dos roteiros e mandar para eles avaliarem. Só que, para garantir a resposta, devia mandar junto um envelope para resposta acompanhado de international reply coupons (cupons que servem para comprar selos em qualquer país).Já estava sonhando com os dólares que receberia por cada página que desenhasse.

Escolhi o roteiro para a edição dos Ex-Mutants, que narrava o ataque de uma espécie de lobisomem (que segundo a descrição do roteirista deveria se parecer em alguma coisa com o Venom, o inimigo do Homem-Aranha) atacava o acampamento dos heróis e agarrava uma das garotas, que deveria estar só de calcinha e sutiã. Aí outros heróis apareciam para salvar a garota, um deles com um machado na mão, outro com uma besta (aquele tipo de arco medieval que dispara flechas) e assim por diante.

Em vez de mandar só o lápis das paginas, fiz a besteira de mandar as páginas finalizadas com nanquim, o que acredito que contribuiu para diminuir ainda mais a qualidade do trabalho. Na verdade, as páginas que havia desenhado eram uma mistura mal feita dos estilos do John Byrne e do Jim Lee. Em todo caso, as páginas até que estavam melhores do que algumas coisas que já havia visto publicadas, mas é sempre um erro quando nivelamos por baixo. O certo é sempre procurar fazer o melhor e procurar aprender com os melhores.

Mandei o teste para a Malibu. Aproveitei para mandar as cópias das páginas para outra editora dos Estados Unidos que ainda existia na época:a Eclipse Comics. Fui rejeitado em ambas. A Malibu mandou uma carta padrão onde estava apenas escrito que o nível do meu trabalho ainda não atendia ao critérios deles. A Eclipse mandou uma avaliação mais detalhada. Apontou falhas, pontos fracos (anatomia, perspectiva etc.), teceu críticas bem severas, mas corretas e sinceras. Também apresentou sugestões. Uma sugestão era de que eu procurasse colaborar em fanzines ou em APAs (Amateur Press Associations), pois seria uma forma de eu continuar praticando e ir desenvolvendo um portfólio. Outra sugestão era que eu submetesse o meu trabalho à avaliação de syndicates (as agências que distribuem tiras aos jornais), pois meus desenhos  tinham um “cartoony or big-foot style”, isto é, um estilo cartunesco, mais apropriado para tiras de humor do que para gibis de super-heróis. Também me mandaram layouts do Wallace Wood para que eu os estudasse.

E, assim, acabou meu sonho de desenhar gibis para editoras dos Estados Unidos. Apesar da minha tentativa ter sido mal sucedida, hoje, tenho orgulho de que, pelo menos, a Malibu havia me proposto um teste. E mais orgulho ainda de que consegui o teste sem intermédio de agentes. Também senti a diferença entre fazer desenhos avulsos e desenhar uma sequência de quadros com base no roteiro escrito por outra pessoa. Para que outros aspirantes a desenhista entendam o que quero dizer: o fato de que você fez um desenho legal do seu super-herói favorito (uma pin up) não quer dizer que você está apto a desenhar uma história em quadrinhos desse herói. Imagine, desenhar uma história do Batman. Você não vai desenhar só o Batman, vai ter que desenhar pessoas de ambos os sexos  e de diferentes faixas etárias(não apenas jovens, mas também crianças, idosos, pessoas de meia-idade), cenários (ambientes externos e internos), objetos (ferramentas, talheres, móveis etc.), animais (cães, gatos, cavalos etc.), vegetação (árvores, arbustos, flores etc.) e tudo dentro da perspectiva de cada cena. Se você quer sentir na pele o que é isso, proponho que tente desenhar uma sequência de quadros em que um super-herói enfrente uma supervilã (ou que uma super-heroína enfrente um supervilão), faça-os lutarem no centro da cidade, numa avenida cheia de carros e pedestres. Desenvolva a sequência de modo tal que a luta termine em um parque com pessoas fazendo cooper enquanto policiais andam a cavalo.

Pouco depois dessa minha mal sucedida tentativa de me tornar desenhista no mercado americano, me apareceu um pequeno trabalho freelancer no Brasil mesmo: algumas ilustrações para um sindicato que me foram encomendadas pela esposa de um político petista. Soube que o trabalho foi publicado, mas levaram meses para me pagar a mixaria que estavam me devendo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s