Animação limitada para orçamento idem

Em 1966, para “pegar carona” no sucesso do seriado de televisão do Batman, a Marvel encomendou ao estúdio Grantray-Lawrence, que funcionava no Canadá, que produzisse  desenhos-animados com os super-heróis da editora: Capitão-América; Thor; Hulk; Homem de Ferro e Namor, o Príncipe Submarino. O resultado foi a série The Marvel Superheroes.

O estúdio Grantray-Lawrence foi fundado por  Grant Simmons, Ray Patterson (da combinação dos nomes “Grant” e Ray” é que surgiu o “Grantray”) e Robert Lawrence. Simmons e Patterson eram animadores veteranos e haviam trabalhado juntos no departamento de animação da MGM, mas quando os grandes estúdios de cinema pararam de produzir curtas de animação, eles passaram a produzir animações para comerciais de televisão.

As animações da Grantray-Lawrence não eram conhecidas pela qualidade, mas por serem baratas, assim nunca estouravam o orçamento dos produtores. No caso dos desenhos dos heróis Marvel, a animação era extremamente limitada. Basicamente, reaproveitavam as artes dos quadrinhos que eram xerocadas e recebiam pouquíssimos acréscimos de movimento,limitando-se aos movimentos labiais das personagens e eventuais movimentos de braços e pernas. Isso permitiu que vários episódios fossem produzidos em curto espaço de tempo.

No Brasil, esses desenhos foram exibidos em diferentes canais  da tv aberta nas décadas de 1960, 1970 e 1980. A primeira dublagem foi excepcional, tendo Léo Batista, o famoso locutor de futebol, como narrador dos episódios.

Pois bem, há alguns anos atrás, um blogueiro do Estados Unidos teve a ideia de pegar quadrinhos da Tower Comics, uma das editoras que tentou concorrer com a Marvel nos anos 1960, e resolveu criar gifs animados a partir das artes dos desenhista Wallace Wood. O resultado é bem interessante e faz pensar: já pensou se fossem produzidas animações a partir dos antigos quadrinhos brasileiros de super-heróis como o Raio Negro, Capitão 7, Fantastic-Man entre outros?

Esse tipo de animação limitada também pode ser uma solução econômica a ser aplicada também na produção de filmes publicitários e material instrucional para cursos virtuais.

Quem quiser saber mais a respeito do processo de restauração dessas imagens e sua transformação em gifs animados pode encontrar mais informações e exemplos no link a seguir:

http://datajunkie.blogspot.com.br/search?q=animation

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s